top of page
Buscar
  • Foto do escritorSara Raquel Sacoman

Osteopatia e Hérnias discais

Atualizado: 5 de out. de 2020



O disco intervertebral funciona como um amortecedor que, além da função de proteção, permite o movimento entre as vértebras.


A hérnia ocorre quando há ruptura das fibras do disco e compressão de estruturas que estão próximas, como ligamentos e nervos espinhais.


Geralmente é resultado de um processo lento de degeneração e raramente ocorre após um trauma ou movimento abrupto. Antes de um diagnóstico de hérnia, o paciente passará por alguns estágios anteriores, que podem ser indolores ou gerarem poucas dores/incômodos.


Nos casos sintomáticos, o paciente apresentará dor localizada ou irradiada para pernas, por exemplo, nos casos de hérnia na coluna lombar, cãibras e fraquezas, dificultando as atividades diárias e diminuindo a qualidade de vida.


O tratamento conservador é indicado para grande maioria e, segundo estudos, apenas 10% dos casos tem indicação cirúrgica.


A OSTEOPATIA tem como principal benefício tratar a causa e não apenas os sintomas.

Após uma avaliação detalhada, onde se levará em conta todo histórico de sinais, sintomas, cirurgias já realizadas, alterações posturais e hábitos de vida, o paciente iniciará o tratamento com sessões semanais ou a cada 15 dias. Esse intervalo irá aumentar de forma gradativa de acordo com a melhora do quadro clínico.


O objetivo será melhorar a mecânica da coluna, eliminar fixações e melhorar a mobilidade global da coluna, para que não ocorra sobrecarga em pontos específicos e mais solicitados, através da estimulação manual dos tecidos ( articulações, músculos, ligamentos, nervos e órgãos internos).

A osteopatia pode ser complementada com outras terapias, como Pilates, por exemplo.

Com o tratamento adequado é perfeitamente possível que pessoas com hérnia de disco tenham uma vida normal e com qualidade.



28 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page